quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

PRESENÇA DE NIKITA




Nikita, bonita, na sarjeta!
É bonita! É xereta!
Uma coisa louca,
vou fazer da sua boca,
alvo de Beretta!

Nikita, bonita, na sarjeta!
Quem não ataca este pecado?
É bichonilda, o coitado!
Sem dúvida é perneta!
Aleijado, largue a muleta!

Nikita, bonita, na sarjeta!
Ela é de outro planeta!
Musa de Vinicius, o poeta!
Na receita dele foi aceita!
Nikita tem graça de borboleta!

Nikita, bonita, na sarjeta!
Abunda ânsia...faz careta!
Tem back em abundância!
Brincamos, gozamos, ambulância
e hospital! Amanhã notícia na Gazeta!

Nikita, bonita, na sarjeta!
Uma bela e rara ninfeta,
que veio de outro planeta,
que é cheia de si e xereta,
que enfeita feita borboleta!

Nikita borboleteia na sarjeta!
Quem a vê, se agita na corneta,
outro se coça e grita na trombeta!
Todos põem segredos na gaveta,
ou maleta, ou bolsos da jaqueta!

Sua falseta está aqui! Atleta!
Banca o pobreta, estafeta!
Alavanca um fim, uma meta!
De maneira cruel e indireta,
escolhe abstinência como dieta!

O alegre canta uma cançoneta,
ninguém fica de veneta!
Nikita prefere cor violeta.
O cupido já atirou a seta!
Espalha amor com a sua..., digo seu trator...

Foz do Iguaçu, 01/02/2012
Publicado no Recanto das Letras em 24/07/2013

Um comentário:

noslen ariexiet disse...

Pra felicidade geral,
manual e material
dos três amigos
que se alegravam
com a visita habitual
da Nikita na República Domeingana...
Moderada dança...moderada bagunça...
Nunca entrou ronca e fuça...